segunda-feira, 28 de maio de 2012

As Civilizações americanas


                                               



I. Astecas
Os Astecas viveram onde atualmente se localiza o México.
I. A arquitetura
Os astecas se destacaram na construção de templos, pirâmides e outros tipos de prédios. Tenochtitlán, capital do Império Asteca, era uma cidade muito bem estruturada do ponto de vista arquitetônico e engenheiro. Contava com diversos templos, palácios, mercados e monumentos.
Tenochtitlán foi construída sobre um grande lago, numa incrível estrutura, as ruas eram canas d’agua, era uma verdadeira Veneza na América.
  Seus templos, construídos em homenagens aos seus diversos deuses, eram grandiosos e não se sabe ao certo como eram construídos. O fato de a atual Cidade do México ter sido construída sobre as ruinas deixada pelos Astecas complica anda mais os estudos dos historiadores e compreensão dessa incrível civilização.
Os Astecas reverenciavam as montanhas, com seus picos que chegavam até o céu, onde viviam os deuses, construíram cerca de vinte e cinco templos em forma de pirâmide que imitavam as montanhas. Além disso, os templos foram concebidos para provocar medo e respeito entre a população.

II. A religião
Os Astecas eram politeístas e acreditavam que se o sangue humano não fosse oferecido ao Sol, a engrenagem do mundo deixaria de funcionar.
               O Deus mais venerado era Quetzalcóatl, a serpente emplumada. Os sacerdotes formavam um poderoso grupo social, encarregado de orientar a educação dos nobres, fazer previsões e dirigir as cerimônias rituais. A religiosidade asteca incluía a prática de sacrifícios. Segundo o divulgado pelos conquistadores o derramamento de sangue e a oferenda do coração de animais e de seres humanos eram ritos imprescindíveis para satisfazer os deuses.



III. A arte
A pintura dos astecas é uma arte intermediária entre a escrita e a iluminura, manifestada através da execução minuciosa de caracteres pictográficos e da figuração de cenas históricas ou mitológicas. Os objetos são representados de frente ou de perfil e, às vezes, as duas posições são sobrepostas, resultando numa imagem irreal, mas sempre compreensível. Não conhecem a perspectiva e o colorido não tem nuances, porém há sempre contornos negros delimitando cada forma e realçando a vivacidade das cores.

IV. A política
Os reis exerciam um poder soberano, eram chefes militares, politico, econômico e religioso. Os Astecas acreditavam que seus chefes eram enviados pelos seus deuses e que tinham ligações diretas com esses.
No auge de seu poder o império asteca incluía trinta e oito estados diferentes e diversos povos. Com todas essas diferentes áreas e diferentes povos para governar os astecas precisavam de uma capital a partir da qual se organizar e governar os súditos. E assim em 1325 criaram Tenochtitlán, uma pequena vila que com o tempo se tornaria uma lendária cidade, o centro de um poderoso e temido império.

V. A economia
A economia asteca se baseava na agricultura. Entre os produtos cultivados por estes povos destacam-se o milho, abacate, abóbora, melão, feijão e pimenta.
Além da agricultura, a economia também se baseava no artesanato, os comerciantes astecas vendiam sues produtos, produzidos artesanalmente, para pessoas das cidades vizinhas.
Esses comerciantes em suas visitas a cidades próximas ouviam o que o povo dizia e levava ao seu soberano, sendo assim espiões reais.

VI. A organização social
A sociedade asteca era rigidamente dividida. O grupo social dos nobres era formado pela família real, sacerdotes, chefes de grupos guerreiros. Podiam participar também alguns plebeus que tivessem realizado algum ato extraordinário. O resto da população era constituída de lavradores e artesãos. Havia, também, escravos.


II. Incas
Os incas viveram onde atualmente se localiza o Peru.
I. A arquitetura
    Os incas desenvolveram várias construções, com enormes blocos de pedras encaixadas, como de templos, casas e palácios.
     Eles jamais construíram pirâmides, as encontradas em seu habitat são anteriores a essas civilizações.
     Os palácios e casas dos nobres em geral tinham uma planta quadrada e as construções religiosas eram circulares. As casas do povo e os depósitos de alimentos eram simples, feitos em pedras colossais, já os templos, palácios e edifícios do governo, tinham paredes de pedras geométricas regulares, polidas e encaixadas umas na outras sem argamassa. Os palácios e casas dos nobres em geral tinham uma planta quadrada, e as construções religiosas eram circulares.
           A maneira de trabalhar a pedra, tanto na escultura quanto na arquitetura, era sua forma de expressão artística. Seus templos, palácios e fortalezas mostram técnicas fabulosas de trabalho em pedra talhada. Em alguns edifícios, usaram blocos retangulares de pedras talhadas dispostos em fileiras.
     Eles eram especialistas em cortar pedras. Construíram muitas estradas, cidades, armazéns, fortalezas, templos e santuários.



II. A religião
A religião era dualista constituída por bem e mal. O bem representava tudo àquilo que era bom para o homem, e o mal por forças negativas como a seca.
Os incas ofereciam diversos sacrifícios, tanto humanos como animais, na maioria das vezes em rituais no nascer do sol. Grandes ocasiões como nas sucessões imperiais podia ter sacrifício de até 200 crianças.


III. A arte
Os incas produziam artefatos destinados ao uso diário ornados com imagens e detalhes de deuses. Era comum na cultura inca o uso de formas geométricas abstratas e representação de animais altamente estilizados no feitio de cerâmicas, esculturas de madeira, tecidos e objetos de metal. Eles produziam belos objetos de ouro e as mulheres produziam tecidos finos com desenhos surpreendentes.

IV. A política
Os camponeses cultivavam as terras de doentes e idosos, assim como trabalhavam alternadamente nas terras do governador local. Eles trabalhavam nessas terras em troca de alguns produtos. Esse tipo de corveia era chamado de mita. Os camponeses ainda despunham de áreas comuns de plantio e entregavam o excedente da colheita ao monarca, assim como lhe deviam prestação de serviços periódicos.

V. A economia
Dirigida pelo estado, a economia inca era acima de tudo agrária e baseada no plantio de batata e milho. As técnicas eram muito rudimentares, pois não se conhecia o arado. Os incas, no entanto, desenvolveram um sistema de irrigação com canais e aquedutos. As terras pertenciam ao estado e eram repartidas, a cada ano, entre os vários estamentos sociais. Não existia, portanto, a propriedade privada. A aristocracia recebia as melhores terras, cultivadas pelas classes mais baixas. Na pecuária, também importante, destacavam-se os rebanhos de lhamas, alpacas e vicunhas, que forneciam carne, leite e lã, além de serem usadas no transporte. O comércio não era importante e não existia moeda. Os incas desconheciam a roda, mas construíram uma excelente rede de estradas que ligava Cuzco a todo o resto do império.

VI. A organização social
A organização social obedecia a uma rígida hierarquia. O inca (imperador), venerado pelo povo como filho do Sol, exercia o poder supremo e era o chefe temporal e religioso do povo. Para preservar a pureza da dinastia, casava-se com a irmã mais velha, embora lhe fosse facultado manter várias concubinas, e o império transmitia-se a um filho legítimo, não necessariamente o primogênito. A aristocracia, composta de membros da família do imperador, ocupava os altos cargos do império e possuía as melhores terras. O segmento social imediatamente inferior era o dos chefes locais. A escala hierárquica prosseguia com os agricultores e artesãos, que cultivavam as próprias terras. O trabalho obrigatório constituía seu tributo à religião e ao estado. Os servos, e os prisioneiros de guerra, formavam a camada social mais baixa.


III. Maias
Os maias viveram onde atualmente se localiza o sul do México

I. A arquitetura
A principal cidade Maia, Tikal, possuía construções que podiam chegar a setenta metros de altura. As ruinas acinzentas que hoje podemos admirar mal conseguem refletir o esplendor da antiga cidade. Na construção da praça principal da cidade de Tikal podemos descobrir uma cidade em que prevalece a cor vermelha.
A arquitetura mostra um sofisticado senso de decoração e arte, expressa em esculturas e paredes pintadas. Em Tikal, as principais construções eram interligadas por ruas de pedra ou por viadutos. No entanto, essas cidades desenvolveram-se aparentemente sem nenhum planejamento, com templos e palácios sendo derrubados e reconstruídos através dos séculos. Devido a esse padrão errático, os limites das cidades maias são difíceis de ser determinados. Algumas são cercadas por um fosso e outras têm fortificações defensivas ao seu redor, mas isso é incomum. Cidades muradas são raras, com exceção de algumas descobertas recentemente e que datam do colapso da civilização maia, quando muralhas de proteção foram erguidas para conter os inimigos externos.
Como a água era escassa em certas regiões, grandes cidades como Tikal tinham reservatórios construídos para servir à população durante a estação da seca. Quadras para o religioso jogo de bola, que reproduzia os movimentos dos deuses celestiais - também são encontradas em muitos centros urbanos.

II. A religião
Os Maias cultuavam diversos deuses sendo o principal o Deus Sol, pois esse era quem dava a luz e a energia, fatores cruciais para a vida.
Com frequência os templos religiosos mais importantes se encontravam em cima das pirâmides maias supostamente por ser o lugar mais perto do céu. A grande pirâmide Maia de Cichén-itzá é uma das ruínas maias da cidade pré colombiana de Cichén –itzá a mais famosa cidade templo maia funcionou como centro político e econômico da civilização maia.

III. A arte
Na arte Maia se expressa, sobretudo na arquitetura e na escultura suas monumentais construções eram adornadas com elegantes esculturas, estuques e relevos. As evidências arqueológicas mostram que os maias começaram a edificar sua arquitetura cerimonial a 3000 anos atrás. Um aspecto surpreendente das grandes estruturas mais é a carência de muitas tecnologias avançadas que poderiam parecer necessárias a tais construções.

IV. A economia
A base econômica dos maias era a agricultura, principalmente do milho, praticada com a ajuda da irrigação, utilizando técnicas rudimentares e itinerantes, o que contribuiu para a destruição de florestas tropicas nas regiões onde habitavam, desenvolveram também atividades cormeciais cuja classe dos comerciantes gozavam de grandes privilégios.
Como unidade de troca, utilizavam sementes de cacau e sinetas de cobre, material que empregavam também para trabalhos ornamentais, ao lado do ouro, da prata, do jade, das conchas do mar e das plumas coloridas. Entretanto, desconheciam as ferramentas metálicas.

V. A organização social e a política
Organização política e social Extremamente hierarquizada, a sociedade maia contava em cada cidade-estado com uma autoridade máxima, de caráter hereditário, dita "homem de verdade", que era assistido por um conselho de notáveis, composto pelos principais chefes e sacerdotes. O chamado homem de verdade designava os chefes de cada aldeia, que desempenhavam funções civis, militares e religiosas. A suprema autoridade militar era eleita a cada três anos. Outros cargos importantes eram os guardiões e os conselheiros. A nobreza maia incluía todos esses dignitários, além dos sacerdotes, guerreiros e comerciantes. A classe sacerdotal era muito poderosa, pois detinha o saber relativo à evolução das estações e ao movimento dos astros, de importância fundamental para a vida econômica maia, baseada na agricultura. O sumo sacerdote dominava os segredos da astronomia, redigia os códices e organizava os templos. Os artesãos e camponeses constituíam a classe inferior e, além de se dedicarem ao trabalho agrícola e à construção de obras públicas, pagavam impostos às autoridades civis e religiosas.

Sugestão:

  1.  Em 2011 fiz um trabalho de História, um documentário, este pode ser encontrado no link:



    2. Série Grandes Civilizações




Um comentário:

  1. Muito bom seu blog, Marina! Adorei as construções portuguesas. Estou impressionada com a sua disposição, hehe! Até mesmo a carta de Caminha! Usarei seu blog para estudar!

    Saudades!

    ResponderExcluir